Tosar ou não tosar: eis a questão

Tosar cães não é uma decisão meramente estética, pois traz em si várias considerações, pelo bem estar do seu pet. Não se deixe levar pela moda!

Tosar ou não tosar cães

Quando o verão se aproxima, começa aquela febre: todo mundo quer tosar seus cães para que eles não sintam calor. Ou para que dêem menos trabalho depois de um belo mergulho na piscina ou passeio no parque. Porém, a maioria das idéias pré concebidas e difundidas sobre tosa estão erradas.

Cães peludos sentem mais calor?

Vamos começar esse post quebrando o mais arraigado paradigma de todos: cães peludos não necessariamente sentem mais calor. E tenho dados tecnológicos para provar.

Foi feito um estudo com base em imagens termográficas, que mostra claramente que um cão tosado não fica mais fresquinho no calor. Veja a imagem:

Parte do corpo do cão foi tosada, e parte não. O que a imagem mostra é que a área tosada atingiu uma temperatura muito mais alta (30,8°C) do que a área com pelos (24°C). Isso comprova que o pelo serve de insulação, ou seja, isolamento do calor. Em outro estudo, feito em ovelhas, a temperatura foi medida na superfície do pelo, no meio, e junto à pele. O resultado foi o mesmo. Na superfície, a temperatura chegou a 40°C, enquanto na pele, permanecia em confortáveis 34°C.

O poder de isolamento térmico do pelo é especialmente importante para cães de pelagem dupla, ou com subpelo – termos que se ouve por aí, mas que nem sempre ficam claros para os tutores. A pelagem dupla é composta por dois tipos diferentes de pelo – um mais longo, externo, geralmente mais grosso, e um pelo mais curto, lanoso e macio, que fica junto à pele. O subpelo é extremamente importante para a proteção do cão – e difícil de recuperar quando sofre intervenções de tosas erroneamente feitas, como vamos ver mais para frente.

Pelo e subpelo
Pelo externo e subpelo de cães com pelagem dupla

No inverno, o subpelo fica bem fechado, ajudando a manter o calor do corpo. No verão, o subpelo diminui, e pode até desaparecer. Restam apenas os pelos externos. Assim, o ar pode circular livremente até atingir a pele, ajudando a resfriar o corpo. A natureza é sábia, não canso de repetir.

A pelagem como proteção solar

Outra atuação importantíssima da pelagem é a proteção solar. A pele dos cães, apesar de ser mais espessa, tem menos camadas que a pele humana, e portanto é muito mais sensível. Leia mais sobre a pele dos cães aqui.

O pelo cria uma barreira contra os raios solares, o que impede que a pele queime. Isso é especialmente importante em cães de pele rosada, que pela falta de pigmentação tem maior propensão a queimaduras solares.

O que acontece quando um pelo duplo é tosado

Desastre! Vou explicar. Quando o pelo duplo é tosado, cria-se um desequilíbrio na sua ordem natural de crescimento. Diferente do pelo de cães de pelagem simples, que cresce continuamente, o pelo externo cresce e para num certo comprimento. Mais longo e grosso, demora mais para crescer do que o subpelo. O subpelo, por sua vez, cresce mais rápido, e abafa o pelo externo. Cresce, mas com uma textura diferente. Fica arrepiado e grosseiro, duro e ressecado, e passa a dar nós e embolar. Isso pode ocasionar doenças de pele, causadas por bactérias ou fungos.

Acontece também de a pelagem não voltar a crescer por igual, e ficar falhada. E, no pior dos casos, o cão pode desenvolver alopecia, que é a ausência de crescimento de pelo. A pele fica escurecida, e o cão fica pelado em partes do corpo. A alopecia também é conhecida como Black Skin Disease.

Cão com alopecia por tosar
Esse cão desenvolveu alopecia após ser tosado da forma errada. Note como a pele fica escurecida e o pelo, falhado

A moda da tosa Boo

Há alguns anos, um Lulu da Pomerânia chamado Boo começou a fazer sucesso na internet, e amealhou milhões de seguidores, ficando conhecido como “o cão mais fofo do mundo”. Sua tosa fazia com que parecesse um ursinho de pelúcia, e a moda pegou. Vários tosadores e groomers ao redor do mundo começaram a fazer “tosa Boo” ou “tosa ursinho” em seus clientes. Sem qualquer preocupação com as consequências disso.

Boo e sua famosa tosa ursinho

A tosa Boo é bastante radical, e atinge o subpelo do cão, abaixando-o em cerca de 50% do tamanho natural. Assim, todo o ciclo que expliquei acima se instala, e a pelagem nunca mais se recupera por completo. Isso faz com que o cão tenha que ser tosado com muito mais frequência, para que as falhas do pelo não fiquem tão aparentes. Como consequência, muitos cães desenvolvem problemas de comportamento, ansiedade e irritação. Não é uma boa escolha.

Fomos procurados no It Pet Shop por um cliente com um Spitz tosado a la Boo. A pele estava escurecida e os danos ao pelo já eram bem visíveis. Ele queria que retocássemos o corte. Esses são momentos cruciais na vida de quem realmente se importa com o bem estar animal. Muito educadamente, explicamos nossas razões para não fazer o serviço. Pena que o cliente não nos ouviu. No entanto, nós temos a certeza de que colocamos a saúde do cão em primeiro lugar.

E os Golden Retrievers?

Você deve estar se perguntando se os Goldens podem ser tosados na máquina. Resposta simples: não. Surpresa, eles também tem pelagem dupla! Com estrutura diferente da pelagem primitiva – de Huskies, Samoiedas, Akitas, Spitz – a pelagem dos Goldens ainda assim tem subpelo, e como em todos os cães de pelagem dupla, serve como insulação, proteção solar, e mais: repele a água e mantém a sujeira longe da pele. Notem que o cão no estudo de termografia que mostrei acima é um Golden! Assim sendo, porque tosar um Golden, não é mesmo?

Importante observar: tosar o pelo não diminui a queda! Isso é mito! Porém, fazer o trabalho de remoção de pelo morto, que é o subpelo que cai e fica emaranhado no pelo externo, diminui drasticamente os rolos de pelo pela casa. No entanto, só um profissional abalizado deve realizar esse serviço, para não danificar o subpelo saudável, por todas as razões expostas acima.

Há uma excelente opção para o pelo de cães como os Goldens: o trimming. É uma técnica feita com tesoura e uma ferramenta especial que remove o pelo lanoso – que o corpo elimina de tempos em tempos –, diminuindo o volume e dando forma. Procure um profissional especializado.

Raças de cães com pelagem dupla

Para que não reste dúvidas, aqui vai uma lista de cães com pelagem dupla que não devem ser tosados jamais:

Akita
Bernese Mountain Dog
Bichon Havanês
Border Collie
Cão dos Pirineus
Chow Chow
Collie
Golden Retriever
Husky Siberiano
Kuvasz
Labrador
Malamute
Mastim Tibetano
Pastor Alemão
Pastor Australiano
Pastor Belga Malinois
Pastor de Shetland
São Bernardo
Shiba Inu
Spitz Alemão (Lulu da Pomerânia)
Terra Nova
Welsh Corgi e Pembroke Corgi

Então, quem pode ser tosado?

Todos os cães com pelagem simples, como Yorkshires, Malteses, Poodles, Bichon Frisées, podem ser tosados sem qualquer problema. A pelagem cresce constantemente, e pode ser tanto tosada na máquina quanto aparada na tesoura.

Cães com pelagem simples, que cresce continuamente
Cães com pelagem simples, que cresce continuamente

Cães como o Schnauzer, apesar de terem pelagem mista – ou dois tipos diferentes de pelo no corpo – podem ser tosados sem prejuízo ao crescimento do pelo. Mas mesmo assim, considere cuidadosamente a proteção que a pelagem oferece antes de decidir fazer uma tosa radical no seu cão, mesmo que o tipo de pelo permita.

Há cães cuja pelagem é considerada dupla, como Shih Tzus, Scottish Terriers, West Highland White Terriers. Porém, por ser uma estrutura de pelo totalmente diferente, é seguro tosar esses cães, desde que o tosa na máquina seja cuidadosa – e não seja radical.

Tosas radicais, que deixam o pelo muito curto causam, ainda, problemas de comportamemto. O cão muitas vezes fica desconfortável, e alguns tutores chegam a descrever como “vergonha”. O cão pode ficar triste, parar de comer, não querer passear, e se enfiar nos cantos. Precisa de um tempo para se recuperar psicologicamente.

Como cuidar da pelagem?

Todos os tipos de pelo devem ter uma manutenção constante e adequada, para que seu cão se mantenha saudável. Pelos longos devem ser cuidadosamente escovados, para que não criem nós. O cão deve tomar banhos na frequência recomendada pelo profissional de banho e tosa da sua confiança, e fazer hidratações periódicas, para que a pelagem e a pele estejam protegidas.

No inverno, quando muitos cães usam roupinhas, a escovação e hidratação são ainda mais importantes, para evitar os nós. Se o cão ficar muito embolado, não restará outra alternativa senão tosar.

As pelagens duplas podem ter as pontas aparadas com tesoura, para que o cão fique com uma aparência mais “organizada”. Desde que não se atinja o subpelo. Por isso, esse trabalho deve ser feito por profissionais que entendam não apenas a estrutura do pelo, mas a estrutura óssea e muscular do cão, para que o resultado final fique bom. Como tudo nessa vida, procure um profissional competente, que te transmita segurança e com quem você tenha empatia. Afinal, é ele quem vai cuidar do seu filho de patas no banho e tosa.

Antes de contratar o serviço de tosa, converse com o profissional, explique bem o que você quer, e ouça o que ele tem a dizer. A decisão deve ser sua, e deve sempre pender para o bem estar do seu cão. Não permita que te convençam a fazer coisas que você não quer. Leia, pesquise, e se precisar me fazer alguma pergunta, estou sempre disponível!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no pinterest
Pinterest