10/03/2016

O que acontece quando você conversa com seu pet

Postado por: Mariana Castro | Categoria: itpeople

Você conversa com seu pet? Eu converso muito com os meus, e posso dizer com segurança que o vocabulário deles é bem extenso. Não há dúvidas de que eles sejam capazes de compreender muitas das coisas que dizemos – há um Border Collie chamado Chaser que comprovadamente entende mais de 1.000 palavras. A Yorkshire Vicky Nina, da querida amiga Lu Nishikawa, reconhece pelo nome 90 brinquedos diferentes, e tem reações engraçadíssimas a várias coisas que são ditas a ela.

 

Mas não é desse tipo de conversa que estou falando, e sim dos longos monólogos que travamos com nossos companheiros peludos quando estamos a sós com eles. A pesquisadora Alexandra Horowitz, autora do livro Inside of a Dog, tem conduzido estudos interessantes não apenas sobre o que os humanos dizem aos seus pets, mas principalmente sobre a forma como dizem. Ela coleciona frases hilárias em seu feed no Twitter com a hashtag #thingspplsaytotheirdogs (coisas que as pessoas dizem aos seus cães). E sabe o que mais? Quem nunca falou assim com seu cão, que atire a primeira pedra! São tantas que resolvi tirar uma foto da minha tela do celular para vocês terem uma ideia:

 

As frases hilárias que Alexandra Horowitz coleciona

 

É claro que nossos cães reagem como se estivessem nos entendendo, principalmente porque são mestres na arte de “empatizar” com seus humanos (veja aqui meu post sobre os bocejos). Cães de serviço, por exemplo, são realmente treinados com incansáveis repetições a atender comandos de voz. E mesmo nossos cães “caseiros” aprendem as palavras que ensinamos com consistência. Mas veja bem: se ao invés de dizer “pegue o brinquedo”, você disser “vá buscar seu brinquedinho por favor”, obviamente seu cão vai se perder no meio de uma construção de frase que ele não é capaz de decifrar.

 

Então, o que ele entende é basicamente o nosso tom de voz. Estudos conduzidos pelo Canine Cognition Center da Universidade de Duke, na Pensilvânia, demonstram que os cães reagem e diferentes entonações de voz, independente do que é dito ou demonstrado. Por exemplo, se aliado ao ato de apontar para um objeto, uma pessoa utilizar um tom amigável ou intimidador, a reação do cão será diferente. Mais especificamente, se você apontar um brinquedo e falar (qualquer palavra) em tom alegre, o cão vai prestar atenção no objeto. Se você utilizar o mesmo gesto, com o mesmo objeto, mas falar em tom bravo, o cão provavelmente vai fazer aquela cara de culpado que nós conhecemos tão bem.

 

Se nossos cães são capazes de entender apenas parte do que dizemos nos tais longos monólogos, porque o fazemos? A resposta é simples: porque nos faz bem! A terapeuta Tiffany Craig diz que muitos de seus pacientes tem mais facilidade de se abrir com seu “assistente”, o Lhasapoo (Lhasa Apso + Poodle) Dante, do que com ela própria. Isso acontece porque os cães são excelentes ouvintes (alguns gatos também, claro). Reagem à nossa postura, à nossa energia, à nossa linguagem corporal, pescam essas dicas e empatizam com isso. Além disso, os animais não te interrompem quando você está falando, não te julgam, não dizem coisas estúpidas, e estão sempre a seu favor.

 

O cuidado a se tomar é apenas não exagerar no compartilhamento com seu pet. Quero dizer, você pode conversar com ele, sim, mas não deixe de conversar com outros humanos também. A sua saúde mental depende do bom senso, né? 🙂

 

Conclusão: falar com nossos pets é muito mais uma necessidade nossa do que deles. Como nossa principal forma de expressão é oral, isso é natural. E faz bem poder conversar livremente, sem julgamentos ou críticas, não é mesmo? Então continue conversando com seu peludo à vontade, e junte-se ao nosso time de malucos… por pets!

 

Assinatura It Pet Blog

Tags:, , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *