12/08/2015

Eu bocejo, meu cão boceja…

Postado por: Mariana Castro | Categoria: itnews

Você já teve a sensação de que seu pet lê sua mente? Sabe o que você vai fazer antes mesmo que você dê o primeiro passo? Eu tenho certeza plena de que meus cães e gatos antecipam minhas vontades, movimentos e intenções, já tive inúmeras provas disso. Por exemplo, o Pudim desaparece pouco antes de a Dra. Anamaria chegar para vaciná-lo; Docinho sabe que aos sábados e domingos sai para passear com meu marido, e sempre no mesmo horário começa a chamá-lo enfaticamente. Mas como será que isso acontece?

 

Estudos científicos tem apontado para a possibilidade cada vez mais concreta de que os animais possuam o que é chamado de teoria da mente: a capacidade de atribuir estados mentais – pensamentos, intenções, emoções – a si mesmo e aos outros, prevendo o seu comportamento.

 

Nossos cães nos observam o tempo todo, em maior ou menor grau. Imitam comportamentos, reagem a comandos de voz, gestos e até simples olhares. Sentem ciúmes, culpa (quando fazem arte, sabemos bem disso!), confiam em nós. Tudo isso tem sido estudado e corrobora com a teoria da mente. Mas para mim, o estudo mais sensacional mostra a capacidade de empatia de nossos cães para conosco, a partir do simples ato de bocejar.

 

Todos nós sabemos que bocejos são “contagiosos”. Este fenômeno, fartamente documentado desde 1942, havia sido observado apenas em humanos e primatas, e revela o grau de empatia entre indivíduos de uma mesma espécie. Um estudo publicado há alguns anos no periódico científico Biology Letters descobriu que cães também são contagiados por bocejos de humanos, e mais ainda se este humano for seu conhecido. 72% dos cães testados bocejaram ao observar um humano bocejando – o que é mais do que o reportado entre humanos (45-60%).

 

O mesmo estudo comprovou que o bocejo não é contagioso em indivíduos com problemas de empatia, como crianças portadoras de autismo. Ou seja, o que se observou nos cães pode ser empatia real! Não é demais? Alguns estudos realizados posteriormente não tiveram resultados tão contundentes, mas os pesquisadores continuam buscando essa confirmação.

 

Da próxima vez que você estiver tendo um daqueles ataques de bocejos, observe seu cão. Se ele estiver atento a você, é bem possível que boceje também!

 

Assinatura It Pet Blog

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *