20/09/2017

Cães de busca e resgate trabalham nos escombros no México

Postado por: Mariana Castro | Categoria: itnews

A poeira nem baixou ainda na cidade do México, e os cães de busca e resgate já estão vasculhando os escombros em busca de vítimas. Um terremoto de magnitude 7.1 atingiu o país na tarde de ontem. A área mais afetada foi justamente a capital, Cidade do México, onde vivem quase 9 milhões de pessoas. Prédios inteiros desabaram, e até agora contabiliza-se mais de 220 mortos (8:30 da manhã do dia 20 de setembro, horário de Brasília).

Os cães de busca e resgate são treinados para encontrar pessoas e animais, vivos ou mortos, nas mais diversas situações. Todas as raças de cães de trabalho – como Border Collies, Pastores Alemães, Pastores Belgas, Labradores e Golden Retrievers – são utilizadas. O treinamento começa cedo, muitas vezes desde 12 semanas de idade. No entanto, se um cão adulto apresenta as habilidades desejadas num cão de busca e resgate, mesmo que já mais velho, pode ser treinado.

Primeiro, os cães aprendem a seguir a trilha do sujeito a ser localizado. No início do trabalho, o treinador coloca o equipamento no cão com guia longa, de modo que ele tenha espaço para trabalhar, mas esteja contido. Uma pessoa conhecida do cão deixa um artigo com seu cheiro e marca um local com o cheiro de suas pegadas. O artigo normalmente é uma peça de roupa, cuidadosamente manipulada para que o cão não se confunda com outros cheiros. O cheiro das pegadas é marcado esfregando os pés num ponto específico.

A pessoa conhecida caminha então por cerca de 30 a 60 metros, deixando uma trilha de petiscos por onde passa. Esconde-se num lugar de fácil acesso. O treinador apresenta a peça de roupa ao cão e o local do cheiro das pegadas, para que ele fareje bem, e dá o comando de “busca”. O cão encontra e segue a trilha de petiscos, e ao chegar ao final, encontra a pessoa conhecida. Recebe ainda mais petiscos e outros agrados, como um brinquedo favorito, e muitas frases carinhosas. Assim, o cão aprende a associar o trabalho de farejar com recompensas prazeirosas. O trabalho vai progredindo com distâncias cada vez mais longas e desafios maiores, escalando, por exemplo, para pessoas desconhecidas, e treinamentos com mais de uma pessoa.

O cão aprende a sinalizar suas buscas, e pode trabalhar com ou sem guia, dependendo do tipo de busca e de terreno. Todo o treinamento é entremeado de treinamento básico de obediência, para que o cão seja extremamente responsivo às ordens do seu acompanhante. Isso garante a segurança do cão e da pessoa com quem está trabalhando, e pode garantir mais efetividade e segurança à busca.

Cães são capazes de buscar pessoas pois seu super desenvolvido olfato consegue facilmente distinguir o cheiro das mais de 40.000 células mortas que despejamos no ambiente a cada minuto. O deslocamento de ar carrega as células, que são identificadas pelo cão nos mais diversos ambientes.

Estamos aqui, novamente, rezando pelas vítimas, sobreviventes e suas famílias no México. E de longe honrando esses cães-maravilha, que são capazes de salvar tantas vidas e acalmar o coração de quem sofre com desastres como esse.

Tags:, , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *